Antonio Manoel Abreu Sardenberg

 

 

Quero embalar os meus versos
Com a cantiga de ninar
Que eu fiz para vocÍ
Contemplando o universo
Numa noite de luar...


Embale, cantiga, embale
No colo dessa saudade
O sonho que me acalenta,
A tristeza que me invade,
O silÍncio que me cala.


E sussurre bem baixinho
Dizendo a ela pra mim:
Com vocÍ meu mundo ť tudo,
Sem vocÍ meu tudo ť fim...
 

 

Todos os direitos reservados ao autor